Brasileiros se renderam às promoções do e-commerce nacional nesta Black Friday

Brasileiros se renderam às promoções do e-commerce nacional nesta Black Friday

A Black Friday – sexta-feira que sucede o Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos – provou que está se transformando, mesmo, em uma data fundamental para o varejo brasileiro, principalmente o online. Assim como em 2015, a edição de 2016 foi um sucesso de público e crítica. Muita gente aproveitou os preços até 39,23% mais baixos para antecipar as compras de Natal. A pedido do PayPal, pelo segundo ano consecutivo, a Big Data Corp. monitorou mais de 590 mil lojas de e-commerce nas quatro semanas que antecederam a Black Friday. 

Segundo o levantamento da BigData Corp., a esmagadora maioria (95,6%) dos e-commerces brasileiros aderiu (no intervalo de quatro semanas pré-Black Friday) à febre de promoções online da data comercial mais expressiva da internet. Entre os grandes e-commerces, com mais de 500 mil acessos por mês, a adesão foi de 100% na Black Friday. Entre os pequenos, com menos de 10 mil acessos mensais, ela chegou a 85.79%.

Os preços desmentiram, mais uma vez, os rumores de que a data não teria o impacto previsto. As ofertas estiveram, sim, abaixo dos preços normais e representaram oportunidades de descontos praticados pelos e-commerces – e uma possibilidade real para que os consumidores pudessem antecipar algumas compras de Natal. Mais do que isso, as promoções foram ainda maiores do que em 2015. Duas semanas antes da Black Friday, os descontos deste ano bateram em 14,73% (contra 6,69% no ano passado); uma semana antes da data, os descontos avançaram para 22,67% este ano (contra 17,29% em 2015); e na Black Friday propriamente dita, os descontos atingiram o pico de 35,27% este ano (contra 30,86% em 2015).

No top 5 das categorias em que a pesquisa Big Data Corp. encontrou os maiores descontos, medalha de ouro para os eletroeletrônicos (39,23%), seguidos por roupas e acessórios (38,62%), casa e decoração (37,89%), turismo (36,44%) e cosméticos (34,11%).

Em comparação a 2015, um fato chama a atenção nesta medição: no ano passado, 7,8% das lojas online já haviam aderido à Black Friday quatro semanas antes da data; na medição deste ano, nenhuma delas exibia promoções similares em seus sites com tanta antecedência. E o índice de adesão de 2016 permaneceu abaixo do índice do ano passado semana após semana, (a sexta-feira propriamente dita), quando a onda virou: este ano, três semanas antes da data, 10,14% dos e-commerces já haviam aderido à Black Friday (em 2015, eram 24,3%); até duas semanas antes da data, 46,8% (eram 54,8% no ano passado); e até uma semana antes da data, 67,4% (eram 75,9% em 2015). Já na Black Friday, 92,6% dos e-commerces pesquisados haviam aderido à data este ano, contra 89,4% em 2015.

Para o CEO da BigData Corp, Thoran Rodrigues, o sucesso da Black Friday mostra que o varejo aprendeu a como se comportar na data. “O mito da Black Fraude, repleta de promoções falsas, não faz mais o menor sentido no Brasil. O varejo nacional entendeu que a data é, sim, uma oportunidade gigantesca para fidelizar clientes e turbinar as vendas de fim de ano. Nossos números comprovam que a Black Friday 2016 foi um estrondoso sucesso de vendas online no País”, afirma.

Ref: http://www.administradores.com.br

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Preciso potencializar minhas vendas!