E-commerce B2B a era revolucionária finalmente chegou

E-commerce B2B a era revolucionária finalmente chegou

O e-commerce B2B no Brasil ainda tem muito o que crescer. Ao contrário, por exemplo, dos Estados Unidos, que tem um dos mercados mais maduros do mundo e projeta chegar a 2021 com um faturamento de US$ 1.2 tri. Por aqui, o entrave do desenvolvimento do setor ainda é a questão cultural, principalmente do representante comercial. Que muitas vezes não compreende que o comércio B2B é um aliado às suas vendas. Uma ferramenta que complementa seu trabalho e abre caminho para reter e conquistar novos clientes, além de contribuir para  superar barreiras geográficas e ultrapassar fronteiras.

Os ganhos com o e-commerce B2B vão desde a redução de custos. Com a impressão de catálogos e materiais promocionais, por exemplo, até a eficiência operacional, com a padronização de processos, informações em tempo real, tempo de processamento de captação de pedidos, integração com ERP e sistema de gestão, além de inúmeros outros benefícios.

 

A indústria

O fato é que há uma necessidade urgente para a reformulação neste canal e uma plataforma de tecnologia pode contribuir para que a indústria, presente apenas no mercado físico, atue também no digital, por meio do e-commerce B2B. Depois de  convencer a equipe de vendas de que a plataforma é uma aliada e que vai trazer uma melhor percepção da marca, o passo seguinte é entender que o canal não tem vida própria.

Para ter sucesso no e-commerce é preciso investir em um site de qualidade e em ações de relacionamento, que envolvem pelo menos quatro passos: agilidade, garantindo que o atendimento e os serviços/produtos oferecidos no meio digital sejam tão bons quanto os disponibilizados nos meios tradicionais. Estratégias de SEO, usando palavras-chave relevantes para o seu público-alvo, assim quando um potencial cliente fizer uma busca por estas palavras na internet. São grandes as chances de que ele encontre o seu site. Marcar presença em redes sociais já que muitos dos clientes lojistas estão nelas e entram com frequência; e, por fim, investir em um bom relacionamento, mostrando aos lojistas que eles podem confiar na sua marca. Ofereça um atendimento diferenciado e personalize os contatos feitos.

 

O e-commerce

O e-commerce é um organismo vivo. Isso significa, na prática, que é  preciso manter os preços atualizados, adicionar novos produtos, investir continuamente no aprimoramento da experiência do consumidor e dedicar tempo para melhorar a comunicação com os seus clientes e potenciais clientes. Um consumidor satisfeito com a experiência, além de ser fidelizado, torna-se um propagador da marca, e a propaganda boca a boca é tão antiga quanto à sua eficiência.

A questão é. O e-commerce, especialmente o setor B2B, que ainda dá os primeiros passos nesse sentido. Deixou de ser uma tendência e passou à condição de modelo consolidado de negócios. Basta ver que as grandes redes já desembarcaram com tudo no comércio eletrônico. Quem ainda não entrou na onda de uma plataforma e-commerce B2B corre o risco de ser ultrapassado pela concorrência.

O comércio eletrônico oferece ao empresário a oportunidade de não só ampliar vendas. Mas também a de consolidar sua marca em uma área marcada pela inovação. Cerca de 60% das empresas investiram em tecnologia para melhorar a relação do site de vendas com o cliente. O resultado se manifestou no aumento da receita e no crescimento da base de consumidores.

 

Conclusão

Se existe uma previsão unânime a respeito do mercado B2B em 2018. É de que a tecnologia estará mais presente do que nunca. O uso das chamadas tecnologias emergentes poderá ser a chave para se destacar entre os concorrentes. E aproveitar a curva de crescimento do setor.


Matéria completa:
www.proxxima.com.br/home/proxxima/how-to/2018/04/23/a-era-revolucionaria-do-e-commerce-b2b-o-tempo-chegou.html
O conteúdo publicado aqui é espelhado de um conteúdo original que pode ser visualizado no link acima.

 

 

Fechar Menu
Como podemos ajudar ?