Inbound commerce: como aplicar essa estratégia em sua loja virtual?

Inbound commerce: como aplicar essa estratégia em sua loja virtual?

O que é inbound commerce?

O inbound commerce é uma adaptação do já conhecido inbound marketing para lojas virtuais.

O conceito é o mesmo, porém, existem algumas particularidades da venda online que diferenciam as duas estratégias.

“Inbound Marketing é qualquer estratégia de marketing que visa atrair o interesse das pessoas.”

Quando apicamos o inbound marketing para lojas virtuais, podemos estabelecer as três primeiras opções do inbound commerce:

  1. Atração
  2. Conversão
  3. Fidelização

Vamos falar sobre todas elas e as particularidades dentro do inbound commerce:

 

1. Atração

Como o nome já diz, o grande objetivo dessa etapa é atrair tráfego para seu site ou blog. Porém, precisamos atrair a audiência certa.

De nada adianta ter milhares de acessos se essas pessoas não são o público que podem vir ao consumir seu produto ou contratar seu serviço.

Por isso, é essencial construir sua persona para que sua comunicação seja mais pontual, direcionada e, assim, gerar tráfego de qualidade.

As ferramentas mais usadas para atração de novos usuários são:

  • blog;
  • redes sociais;
  • SEO;
  • site.

Você pode destrinchar cada uma delas e usar para que sua estratégia seja bem sucedida.

Agora vamos mostrar como você pode usar os recursos do inbound commerce na etapa de atração:

 

Descrição de produto e categoria

Eis aqui um triunfo para as lojas virtuais que aplicam esse método: imagine só seus produtos serem encontrados de forma orgânica nas buscas!

Além de economizar com mídia paga, você ainda  mostra autoridade, já que está aparecendo nas primeiras posições nos buscadores.

O grande erro dos e-commerces é copiar a descrição de produto e categoria dos fabricantes. O Google sempre irá priorizar o conteúdo original.

O segredo é fazer uma descrição diferente e muito completa aplicando as técnicas de SEO que já conhecemos. Cuidado com textos muito técnicos e difíceis de entender! Boas ideias são contar como aquele produto vai ser vantajoso para seu cliente e de que maneira ele pode facilitar seu dia a dia.

Buzz Content

Ter um blog como uma das ações da sua estratégia de marketing é essencial. Criar conteúdos que poderão ser consumidos a qualquer momento também é super importante!

Esse tipo de conteúdo é chamado de evergreen porque nunca envelhece, ou seja, possui um prazo de validade indefinido ou pelo menos muito longo.

Já os buzz content são conteúdos quentes eles têm prazo de validade e só fazem sentido para ser consumidos naquele momento específico e que deve ser lançado estrategicamente para ser bem aceito.

Um exemplo prático: imagine que você venda camisas geek e sabe que o filme da Liga da Justiça vai ser lançado daqui a 1 mês. Comece desde já a produzir um conteúdo com essa temática conteúdo e garanta que ele seja lançado próximo a data de lançamento (de preferência antes). Como o tema estará em alta, as buscas aumentarão e o engajamento nas redes sociais também.

 

2. Conversão

A conversão dentro do e-commerce pode ter um significado diferente.

Dependendo da loja virtual, não faz sentido oferecer um ebook para converter um lead.

Na maioria dos casos para e-commerces, quando falamos em conversões nos referimos a vendas.

É claro que existem lojas virtuais B2B para as quais a estratégia de ofertar materiais ricos faz todo sentido, mas no momento vamos focar no que há de diferente no inbound commerce.

Como na etapa de atração, existem ferramentas importantes para converter usuários em clientes:

  • CTA;
  • landing pages;
  • formulários;
  • email marketing.

Landing pages e formulários podem ser usados da maneira que já conhecemos. Por isso, vamos falar sobre as diferenças em CTA e email marketing para e-commerce:

 

Banner CTA

No inbound marketing geralmente utilizamos CTAs para ofertar um material rico, uma consultoria gratuita etc.

No e-commerce podemos fazer de maneira diferente. Por que não oferecer um produto relacionado ao post que o usuário está lendo naquele momento?

Perceba que, dessa forma, você une duas etapas: convertemos um leitor em cliente sem necessariamente transformá-lo em lead.

É claro que também podemos usar seus dados futuramente para ofertar produtos relacionados e sugerir novos blogposts que ele pode se interessar, mas não é o objetivo primordial.

Não esqueça de metrificar sua estratégia, inserindo códigos de rastreamento nos CTAs. Eles vão mostrar se o que está sendo feito funciona ou não.  Assim, você tem a possibilidade de ajustá-los dependendo dos resultados. Uma ótima ferramenta para isso é a própria UTM Builder que o Google oferece de maneira gratuita.

 

Email marketing

O email marketing é uma poderosa ferramenta de conversão para lojas virtuais, principalmente quando falamos de usuários que ainda não são clientes: vamos utilizar o email justamente para convertê-los.

Uma grande dica é espalhar CTA’s de captura de email dentro da sua loja e blog. Você pode fazer isso oferecendo benefícios em troca, como um desconto na primeira compra, um brinde ou participação em sorteios. Assim, você consegue o máximo de emails cadastrados!

O importante é que o usuário quebre a “barreira da desconfiança com você” e faça sua primeira compra. Depois disso, fica muito mais fácil vender novamente para ele.

Mas, para a primeira compra acontecer, é preciso pensar em como você vai fazer a nutrição dos contatos gerados.

Logo após o cadastro feito, envie um email automático para os contatos capturados, além de estabelecer um email recorrente de acordo com aquele lead. Só tome cuidado para não exagerar e lotar a caixa de e-mail das pessoas e sempre mesclar produtos com conteúdos do seu blog.

 

3. Fidelização

Aqui é a hora que transformamos clientes em promotores da marca, agora que conseguimos convertê-los em venda.

Por que não continuar oferecendo produtos relacionados ao que ele já comprou? Não cometa o erro de abandonar esse cliente e perde-lo para sempre.

Nessa etapa algumas ferramentas também ajudam a fidelizar os clientes e garantir novas vendas:

  • email marketing e automação;
  • mídias sociais;
  • blog

Também vamos abordar as particularidades do inbound commerce e falar de ferramentas específicas:

 

Email marketing e automação

Novamente vamos utilizar o e-mail marketing para continuar comunicando com os clientes, mas, nesse caso vamos precisar segmentar nossa base de contatos de maneira eficiente.

Um erro grave é enviar o mesmo email para a base inteira. Se você fizer isso, é muito provável que suas taxas de cliques serão baixas e você será marcado como spam — e, se isso acontecer, adeus novas vendas.

Segmentar sua base não é um bicho de sete cabeças, o importante é ter uma boa ferramenta de automação de marketing e automatizar seus envios para construir uma máquina de vendas eficiente e que gere resultados.

 

Blog post

Novamente o blog contribuindo para a estratégia do e-commerce. Na fidelização, ele funciona para fidelizar clientes e garantir novas vendas.

Aqui o interessante é produzir conteúdos que mostrem como utilizar seu produto e suas vantagens, procure sempre associá-lo a outro produto e mostrar os benefícios dessa combinação. Assim, você faz com que os clientes que compraram um tênis de corrida também se interessem em uma roupa térmica, por exemplo.

Claro que esse tipo de conteúdo não pode ser o único no seu blog! Não esqueça de produzir artigos de topo, meio e fundo de funil também, com outras abordagens e com direcionamento correto para cada etapa da jornada de compra.

Espero ter esclarecido suas dúvidas. Agora que você conhece o inbound commerce, já pode começar a aplicar essa estratégia na sua loja virtual e medir os resultados.

 

Matéria completa:
www.marketingdeconteudo.com/inbound-commerce/
O conteúdo publicado aqui é espelhado de um conteúdo original que pode ser visualizado no link acima.

 

 

Fechar Menu
Como podemos ajudar ?